Páginas

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Verdadeira Face

"Se eu cair e o mundo não me levantar, eu não vou me revoltar
Vou apenas concluir que nunca estive em cima e só agora percebi
Se me virem com falsos olhos, não vou me chatear
Pois sei que eles estão sendo vistos com os mesmos olhares
Se minha dor ainda não brilhar é porque ela nunca doeu
Eu é quem nunca me adaptei a verdade

Se meu pensamento não chegou a uma conclusão
Eu ultrapassei a linha final
Se um sorriso der lugar a uma lágrima
Não se desanime, uma hora ela acaba
Porém, ela acaba junto com você

A nossa vida seria fácil se aceitarmos como é
Mas persistimos em adaptar às horas 
Não merecemos o título de sapiens
Pois não sabemos nada
A infinitos anos o tempo foi criado
Até hoje ninguém soube explicar as conspirações universais
E quem sabe um dia o próprio tempo nos dirá sua verdadeira face."
Esse foi o primeiro poema "oficial" que escrevi. Faço versos e rimas desde que fui alfabetizado, mas foi com esse que eu comecei a catalogá-los e organizar minhas obras.

2 Comentários:

Marcela Melo disse...

Bom a temática do poema é muito boa. Mas percebi certa confusão. Primeiro começou-se o poema em primeira pessoa, depois passou para segunda e gradativamente para a terceira, ficou certa mistura de personalidades no texto o que, por fim, o deixa impessoal.

http://mmelofazminhacabeca.blogspot.com.br/

Diogo Figueiredo disse...

Como disse, foi um dos primeiros que escrevi, por isso essa confusão quanto ao enunciado. Preferi deixar assim, mesmo errado, para manter sua originalidade. Obrigado pelo comentário

Postar um comentário

Pelo menos leia o texto e evite escrever merda!
Eu não me importo que coloque o link de seu blog, só não aceito que se resuma a isso!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails