Páginas

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

A Estrada e a Cidade

Havia decidido pegar o carro e partir sem nenhuma direção, podia parecer a forma mais clichê de escapismo da cidade, mas parecia a coisa certa a se fazer. Sem prédios, sem carros, sem pessoas. Seria um grandioso final feliz para uma história sem graça, se depois de tanto escrever sofre desapego e libertação, eu conseguisse cortar alguns laços sociais e simplesmente partir. É verdade que de tanto que a cidade me respirou, eu fiquei sem ar, mas é a cidade que me constroi, me desgasta e me evolui. Precisei renovar toda a pouição abstrata que me rodiava para saber que milhares de outdoors e farois me fazem sentir vivo. 
Sempre vou querer percorrer milhões de estradas que me levam a qualquer lugar que eu não conheça, mas não vou desitir de ter sorrisos acelerados e momentos agitados de calor humano sob o cotidiano urbano.


2 Comentários:

Guru do Metal disse...

o texto é bom e as imagens são boas.

Mylla disse...

Me identifiquei muito com o texto. Sempre tenho essa idéia de escapar, de sair sem rumo... Mas no fim não adianta, haha. Sou, na medida do possível, um bichinho urbano.

A segunda foto é especialmente linda!

:*

http://hey-london.net

Postar um comentário

Pelo menos leia o texto e evite escrever merda!
Eu não me importo que coloque o link de seu blog, só não aceito que se resuma a isso!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails