Páginas

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Andanças

Com uma consciência pesada após ter comido uma panela de brigadeiro, resolvi fazer uma caminhada pelo bairro, reparar as casas que sempre estiveram na rua e eu nunca havia dado atenção, e até pensar em tudo que eu quero realizar nesse momento.
Olhava para o céu, via nuvens escondendo o horizonte que nomeou a cidade, via o tanto que aquela arbusto da esquina cresceu. O tempo passou, eu não vi ele crescendo, mas é notável o seu desenvolvimento. Penso se o mesmo aconteceu comigo?
Vamos voltar uns anos e descobrir. Há uns anos eu era completamente revoltado, era incapaz de ver algo positivo na sociedade, não encontrava ninguém que me interessasse, admirava a linguagem sombria e passava a maior parte do tempo pensando na morte. Não era depressivo, sempre soube conviver bem com as pessoas de maneira apática para não criar conflito e sempre encontrei nos meus textos e nas minhas bandas que ninguém conhecia, uma forma de escapismo. Mas não gostava de manifestar meu pensamento e me frustava em todos os meus relacionamentos.
E como eu estou hoje? A verdade é que eu não mudei, ainda não encontrei uma mulher que eu amasse completamente, mas ao menos não desisti de procura-la e já estou mas preparado para recebe-la. Continuo não pertencendo a nenhum grupo, mas conheci pessoas incríveis que também não pertencem, parei de pensar na morte, ainda não penso na esperança e na vida feliz, mas aprendi a usar tudo que me diferenciava dos demais ao meu favor.
É, de fato cresci e não percebi. Enquanto estava ocupado com outras coisas, minha vida estava acontecendo me levando ao crescimento, né John. Posso dizer que comecei a aceitar a vida e ser mais flexivel com o azar que há ao meu redor. Nunca neguei que eu não tenho a vida que eu queria ter, mas o que antes isso me levava a mais profunda melancolia, hoje eu sei que toda sorte me foi negada porque eu sou forte o suficiente para alcançar da maneira mais complexa tudo que é simplesmente dado aos demais, sou capaz de aguentar e de sofrer sem manifestar uma mínima vontade de desistir. Sou capaz de caminhar nessa chuva e de começar tudo de novo se for preciso. Sou capaz de viver... de percorrer essa trilha até chegar na minha casa e comer outra panela de brigadeiro.

19 Comentários:

Gabriel B. disse...

Muito bom :D


http://darkvermilion.blogspot.com/

Guru do Metal disse...

se essa for a tua história mesmo é parecida com a minha, menos a panela de brigadeiro, não gosto muito de doces

http://rocknrollpost.blogspot.com/

Mia Sodré disse...

Consciência pesada por comer uma panela de brigadeiro. Já passei por isso. haha
Realmente, o tempo passa, a gente muda e nem percebe. As coisas acabam se tornando melancólicas quando nos damos conta de tudo o que passou.
Amei esse texto, me identifiquei muito. Estou seguindo o blog, aliás, pensei que já o seguia e só agora me dei conta de que não. hahaha
Bjo.

http://miasodre.blogspot.com/

Wellington Oliveira Santana disse...

ja estou de seguindo me segue e deixe um comentário


http://seo-k.blogspot.com/
http://ganhosonline-k.blogspot.com/

Rock in Culture disse...

Muito texto e uma mensagem fraca pode melhorar isso ae

Guilherme Augusto disse...

Nossa vida é formada por momentos, e nos cabe saber o que fazer com eles, aprendendo assim, viver... :)

Jajá disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jajá disse...

o tempo passa e junto com ele nossa vida tambem, vivemos em constante processo de evolução e aprendemos muitas coisas durante essa existencia, conhecemos novos amigos, reencontramos os velhos tb... o importante é o aprendizado e as experiencias adquiridas q a vida nos proporciona... vc aprendeu a observar e percebeu os detalhes q antes eram imperceptíveis, mudou a maneira de ver certas coisas q antes eram banais, hoje vc tem uma bagagem de conhecimentos...

fico feliz em comentar sua postagem bem original por sinal...

abraço!

www.jaylsonbatysta.blogspot.com

Blog UaiMeu! disse...

Bonito seu post!
Um feliz ano novo para vc!

Venha nos visitar
http://uaimeu10.blogspot.com/2012/01/conheca-o-p-tree-mictorio-arvore.html

João Batista de Lacerda disse...

Caminhar, caminhar e caminhar sem encontrar o que procura pode dar nisso: comer, comer e comer para depois reclamar que engorda, engorda e engorda...
Retribui?

Lucas Adonai disse...

muito bom o texto!

Ítalo Richard disse...

Texto bonito e reflexivo. As vezes as coisas simples da vida passam despercebidas e precisamos despertar a sensibilidade para sentí-las.

abraço,
www.todososouvidos.blogspot.com

Jéssica Nascimento disse...

lindo!
http://www.cotidianojornalistico.blogspot.com/

Lucas Adonai disse...

Continue assim cara!

Sinceros Sentimentos disse...

FATO, não percebemos nossas mudanças! Adorei seu texto. Estou seguindo o blog, segue o meu ta?

http://luhkarooline.blogspot.com/

Beijos ;*

Lorena Karla disse...

Gostei do seu texto... Lembra-me de que sempre é mais fácil olhar as mazelas do mundo e enxergar apenas as mazelas.O difícil é perceber a beleza escondida por trás dela. Continue otimista xD

Pamela Dal'Alva. disse...

Curtii!!..
èee um bom texto para se parar e pensar em tudo que passou em nossos olhos e não vimos nadinhaa..
É não adianta nada ficar pensando no pior =d

kisu

Anônimo disse...

Nunca se esqueça de observar os pequenos detalhes, pois as respostas pra muitas de suas perguntas podem estar neles! Nos mais simples jardins podemos encontrar as mais belas flores.

Anônimo disse...

Adorei! É quase como se tivesse lido minha autobiografia.

Postar um comentário

Pelo menos leia o texto e evite escrever merda!
Eu não me importo que coloque o link de seu blog, só não aceito que se resuma a isso!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails