Páginas

sexta-feira, 11 de junho de 2010

No Embalo do Dia dos Namorados

Nas histórias de ficção, como filmes e novelas, o "amor" é tratado de uma forma bastante diferente da realidade. É visto como a principal coisa da vida, não que não seja, muito pelo contrário. Não me importo de confessar que ainda existe alguém com quem podemos ficar até os últimos segundos de vida. O problema é a maneira utópica e superficial que o amor é tratado.
Nas novelas, o amor é consolidado com o casamento e a gravidez, e da-se a entender que em diante tudo será perfeito e "todos serão felizes para sempre", mas o casamento não é um final, é um início. A partir desse momento é que realmente tentarão viver eternamente unidos, algumas vezes funciona e outras não.
Amor não é o que é mostrado no renovado drama Titanic, o filme apenas conta a história de duas pessoas que se envolveram durante uma viagem, e o homem faleceu com o acidente do navio. Não deu tempo para eles terem certeza se seria um amor eterno (poderia sim ter sido, mas não foi), prova disso é que a mulher conseguiu viver anos após a tragédia com a sua vida. No filme ocorre uma idealização do que aconteceu entre os dois, que é reforçado por uma belíssima trilha sonora. Não estou negando que eles não sentiram nada um pelo outro, apenas que não foi o maior dos amores, como o filme quis mostrar (eu sei que muita gente vai querer me matar por isso)
Recentemente comecei a ver o seriado Gravity, e de cara apresentou o casal que eu mais me chamou atenção, e recomendo a todos que querer saber o que é amor verdadeiro. A série conta a história de um grupo de apoio ás pessoas que tentaram se suicidar. Como protagonista, Lily Champagne é uma mulher solitária e depressiva, que trabalha em uma loja de coméstico, a qual odeia, tentou se matar engolindo um monte de remédios e alegou que desejava encontrar seu grande amor, que não estava presente na Terra. No grupo de apoio, conheceu o médicoRobert Collingsworth, conservador e que não aguentava viver após a morte de sua esposa devido a um cãncer. Estava dirigindo e se jogou junto com o carro em um abismo em alto mar, e o carro caiu dentro da piscina de um navio, ou seja, ele saiu sem nenhum ferimento; além de não consegui se matar, seu caso virou notícia nacional. Assim, os dois se conheceram e finalmente encontraram um motivo para persistir em viver e entenderam o porquê sobreviveram às tentativas de suicídio.

1 Comentários:

Danny disse...

Adorei seu blog!!

Estarei sempre a acompanhar e seguir!

Espero que acompanhe minhas postagens também

Beijoss

Postar um comentário

Pelo menos leia o texto e evite escrever merda!
Eu não me importo que coloque o link de seu blog, só não aceito que se resuma a isso!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails