Páginas

quarta-feira, 5 de maio de 2010

"Gordofobia", acredite, isso existe!

O preconceito é um assunto bastante polêmico que está presente em vários assuntos do cotidiano e negros e homossexuais são, aparentemente, os grupos que mais sofrem desse mal constante na sociedade. Mas estou para falar de um outro setor, que inclusive faço parte desde que nasci, também bastante prejudicado, os gordos.
Pode parecer insano ou paranoia minha, mas é verdade. O problema é que frequentemente não aparecem noticias relacionadas a este tema, assim, ninguém para e pensa a respeito, o faz parecer que este preconceito não existe. Mas é tão comum que já é automático na sociedade, e seu início já é nas escolas, logo quando criança. Por que o gordinho sempre é o último a ser escolhido para o time nas aulas de Educação Física? Porque ele é incapaz de jogar bem, não consegue correr... E essa imagem se perpetua até a fase adolescente, quando uma pessoa acima do peso tem fama de nunca "pegar ninguém", e assim vai até a vida adulta, levando a imagem de ser incapaz à tudo.
Sempre estive muito acima do meu peso, e já me encomodou bastante ser assim, queria desesperadamente emagrecer porque me sentia ofendido quando me chamavam de gordo; hoje não mais. Parei com esse drama a partir do momento que deixei de ter compromissos com o senso comum, e quando alguém me chama de gordo, num sentido de ofensa e com a intenção de "xingar", começo a achar graça da ignorância deste individuo. Desde quando a palavra "gordo" é um xingamento? Gordo é uma característica física, assim como magro, alto, baixo, cabelo liso, curto, olhos claros, e é isso que o senso comum tem dificuldade em aceitar.
Tenho plena consciência que meu peso não é o ideal e sei dos riscos de saúde que corro, e não estou dizendo que pretendo ser assim para sempre, apenas não aceito nenhum sacrifício excessivo para chegar ao "peso ideal", me recusso a deixar de fazer coisas que gosto ou comer as coisas que me dão vontado, claro que com um certo controle, e inclusive sempre fiz uma atividade, não para ficar "esbelto", mas para aumentar resistência física que considero excelente, levando em conta meu peso e meu histórico família.
Sei que não o único que já sofreu algum tipo de preconceito por não ter os padrões de estética, e aviso a todos que ainda se sentem ofendidos, a tentar relevar, e simplesmente ignorar qualquer tentativa de ofensiva, acredite, é mais fácil do que parece, afinal existe, sim, vida além do senso comum.

3 Comentários:

Thamires disse...

Também acho que existe a gordofobia,isso é com certeza..por falar nisso,na coréia do sul..suahsuahs lá vai eu falar da coréia,mas é inevitável,porque lá os padrões de beleza feminina são extremos.Aqui no Brasil mulher tem que ser gostosa,ou seja,tem que ter carne me algum lugar com abundância,lá na coréia,a mulher tem que ser branca que nem leite e ser magra,muito magra,quase anoréxica,ou se não assim.E aos gordos que se sentem ofendidos quando chamados de gordos,porcurem,como o gô disse,fazer dieta,exercício ou seja lá o que for,para ter uma saúde ideal,e não um peso ideal.;)

Anônimo disse...

Oi, Diogo! Tudo bem?
Meu nome é Giovana Manfredi, eu sou pesquisadora da TV Globo e estou estudando justamente o tema deste teu post - que eu, aliás, adorei. Podemos bater um papo? Meu email é giovana.manfredi@tvglobo.com.br. Beijão.

Anônimo disse...

Acho que isso se chama anorexia...
XxGabriella

Postar um comentário

Pelo menos leia o texto e evite escrever merda!
Eu não me importo que coloque o link de seu blog, só não aceito que se resuma a isso!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails